Liderar com Perturbação Narcísica da Personalidade

Liderar com Perturbação Narcísica da Personalidade


Em 1980, a perturbação narcísica da personalidade é reconhecida como sendo uma perturbação do foro mental, caracterizada pela existência de um padrão de grandiosidade, necessidade de admiração e ausência de empatia. Na população geral assume uma prevalência de 6,2% com tendência para o seu aumento ao longo dos últimos anos. Dentro da população psiquiátrica os valores oscilam entre os 2% e os 16%, predominando no sexo masculino (entre 50% a 75%).

Para um narcisista, o sentimento de grandeza e de realização é hipervalorizado, esperando igualmente que os outros o reconheçam e atribuam as mesmas capacidades. Sentem-se altamnete atingidos quando os ouros à sua volta tem outra imagem de si ou não reconhecem essa grandiosidade. Os narcisistas, acreditam que são especiais, superiores ou mesmo únicos e esperam “cegamente” que os outros concordem consigo. Por outro lado, acreditam que estão mais bem acompanhados se próximo de outras pessoas especiais e únicas como eles próprios.

Definem as suas necessidades também como únicas e que só podem ser culmatadas, igualmente, por alguém com essa capacidade. Tendem a relacionar-se com as outras pessoas pelo seu estatuto social ou económico, com o intuito que o seu estatuto tambem seja valorizado, pela associação. Normalmente, procuram ligar-se às “melhores” associações ou clubes de acesso restrito.

Os indivíduos com perturbação narcísica da personalidade procuram Apresentação2reconstruir as suas experiências anteriores, apresentando por isso niveis de auto-estima muito frágeis. Estão essencialmente centralizados e preocupados com a cotação que os outros lhe atribuem. Esperam ser invejados pelos de mais à sua volta e quando tal não acontece, sentem-se indignados. Estão sempre à espera de receber um elogio, procuando-o por vezes de forma forçada.

Por se sentirem especiais, acreditam que os outros devem trata-los como tal, merecendo um tratamento e atenção individualizado. Normalmente, tem dificuldade em esperar numa fila para serem atendidos, pois para eles a sua necessidade é mais urgente e importante que a dos outros. Ficam por vezes irritados e revoltados quando os outros não reconhecem o seu “devido valor”.

Nas relações amorosas, são manipuladores pois tendem a relacionar-se com a outra pessoa apenas se esta aceitar “a sua grandeza” e a ajudar a manter a sua auto-estima. Quando os outros desabafam consigo, tornam-se impacientes e incapazes de compreender e transmitir empatia. Quase sempre acabam por magoar com observações indelicadas, ou comentários menos próprios. Tambem podem ser vistos pelos outros como pessoas frias, bastante invejosas, arrogantes e de altivez bastante marcada.

A crítica é assumida para os narcisistas como algo que os faz sentirem-se obececados, pela dificuldade que apresentam para lidar com ela. A crítica faz sentirem-se humilhados e rebaixados. As relações interpessoais são marcadas pelo empobrecimento e falta de respeito pela sensibilidade dos outros.

Liderança e Narcisismo

Alguns autores acreditam que só a longo prazo são visíveis os problemas nas relações interpessoais. Até lidarem com a crítica o funcionamento é até bastante positivo e atractivo, principalmente pelo facto de serem pessoas com grandes competências sociais, confiantes, extrovertidas e com capacidade de entretenimento. Alguns estudos têm vindo a revelar a tendência que estes indivíduos têm para serem líderes ou assumirem papeis de liderança, mas atenção...a ocupação desses lugares não quer necessariamente dizer que tudo se encaixa bem. A ocupação da liderança, embarca igualmente o lado das consequências negativas, não só para os próprios, como para as organizações.

Algumas das consequências passam pela má relação com os outros, tomadas de Apresentação3decisões arriscadas sem benefício, má gestão dos recursos, comportamentos contraproducentes e baixa performance. A perturbação narcisica da personalidade tem ainda vindo a ser relacionada com consumos desmedidos com o alcoolismo, jogo patológico, compras impulsivas ou adições.

Dos estudos realizados sobre esta perturbação, têm vindo a compreender que existem algumas variantes. Falamos de três tipos: encoberto, manifesto e narcisismo exibicionista (Russ et al.).

O Tipo encoberto é caraterizado pela existência de um introversão acentuada, com grande tendência para sentimentos negativos e afastamento dos outros.

O Tipo manifesto é identificado através de extroversão bem marcada, com persistência para negar ou bloquear as experiências negativas através da expressão da raiva ou agredindo os outros.

O tipo narcisismo exibicionista é dos três o que apresenta um conjunto de carateristicas psicológicas mais positivas e de maior relevo. Os indivíduos deste tipo, apresentam um padrão de grandiosidade, são competitivos, procuram a atenção de forma equilibrada, por norma são sedutores e provocadores utilizando a sua sexualidade como estratégia. Expressam coerência, energia, melhores relações interpessoais e forte orientação para os objetivos, pois são capazes de usar as suas caracteristicas e aquilo que os define como uma força motriz para alcançarem o sucesso, tornando-os assim mais bem adaptados que os restantes tipos.

Referências:

Siano, A. (2002). Transtorno de Personalidade Narcisista: A Dinamica do Narcisismo. Brasil.

Silva, M. e Coelho, R. (2010). Perturbação Narcisica da Personalidade. Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. Porto, p. 2-13.
Ventura, D. e Pedro, A. (2010). Perturbação Narcísica da Personalidade: Descrição e Compreensão. Lisboa: ULHT.

Vries, M. e Miller, D. (1990). Narcisismo e Liderança: Uma Perspectiva de relações de objectos. São Paulo: Revista de Administração de Empresas.

A Psicóloga
Serviço de Psicologia Janela Aberta
Filomena Conceição
CP 15707

psicologia.janelaaberta@gmail.com

https://www.facebook.com/psicologiajanelaaberta

No Comments Yet.

Leave a comment

Por favor, resolva a seguinte operação: *