Fisioterapeutas reclamam ‘ORDEM’ há 15 anos e queixam-se de falta de vontade política

Fisioterapeutas reclamam ‘ORDEM’ há 15 anos e queixam-se de falta de vontade política


Sessão oficial de Abertura, 12 de junho, 14h00, com a presença do Diretor-Geral da Saúde, Francisco George

A partir de amanhã, 12 de junho, e até ao próximo domingo mais de meio milhar de fisioterapeutas são esperados no 9º Congresso Nacional de Fisioterapeutas. O evento decorre no Centro de Congressos do Estoril, em Cascais, e é uma oportunidade única de encontro entre especialistas do setor. Organizado pela Associação Portuguesa de Fisioterapeutas (APF), o congresso tem como principal objetivo a promoção do papel do Fisioterapeuta na prestação de cuidados de saúde, sendo esta a terceira maior profissão prestadora de cuidados de saúde no nosso país, mas também na Europa.

Este congresso pretende promover este papel para o exterior da profissão, numa missão que deverá ser conjunta de todos os fisioterapeutas. Estes profissionais são reconhecidos pelos seus clientes e pelos resultados obtidos, mas nem sempre pelas organizações, por outros profissionais de saúde e pelo público em geral. Com um programa científico diversificado, este congresso é uma oportunidade de partilha de experiências, conhecimentos e atualização dos profissionais, quer através de especialistas nacionais, quer estrangeiros, de reconhecimento comprovado entre os seus pares.

Sessão oficial de Abertura, 12 de junho, 14h00
REPRESENTANTES DAS VÁRIAS ÁREAS DA SAÚDE EM PORTUGAL VÃO DEBATER OS ‘SISTEMA(S) DE SAÚDE E FISIOTERAPIA’
Com a presença do Diretor-Geral da Saúde, Francisco George

A sessão oficial de abertura está agendada para as 14h00, do dia 12 de junho, e vai contemplar uma mesa redonda sobre os ‘Sistema(s) de Saúde e Fisioterapia’.

Na cerimónia marcam presença especialistas e representantes das várias áreas da saúde em Portugal: Presidente Câmara Municipal de Cascais, Carlos Carreiras, Presidente do Conselho Diretivo da Administração Central do Sistema de Saúde, Rui Santos Ivo, Presidente do Conselho Diretivo Administração Regional de Lisboa e Vale do Tejo, Luís Cunha Ribeiro, Diretor-Geral da Saúde, Francisco George, Presidente da Asociación Española de Fisioterapeutas, Antonia Gomez Conesa, Presidente Associação Portuguesa de Fisioterapeutas, Isabel Souza Guerra, Bastonário Ordem dos Médicos, José Carvalho e Silva, Bastonário Ordem dos Enfermeiros, Germano Couto, Bastonário Ordem dos Psicólogos, Telmo Baptista, Bastonário Ordem dos Nutricionistas, Alexandra Bento, Presidente Associação Portuguesa de Licenciados em Farmácia, João José, Presidente Associação Portuguesa de Cardiopneumologistas, Pedro Miguel Almeida, Presidente Associação Portuguesa de Terapeutas da Fala, Ana Tavares, Presidente Associação Portuguesa de Técnicos de Análises Clínicas e Saúde Pública, Hélia Carona, Presidente Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos, Manuel Luís Capelas, Presidente Sociedade Portuguesa de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial (SPDOF), David Sanz, Presidente Associação Portuguesa de Farmacêuticos Hospitalares (APFH), Catarina Oliveira, Presidente Associação Portuguesa de Internos de Psiquiatria, Sérgio Saraiva, Presidente Sociedade Portuguesa de Engenharia de Reabilitação e Acessibilidade, David Pinheiro Fonseca, Presidente Sociedade Portuguesa de Geriatria e Gerontologia, Manuel Carrageta, Presidente Sociedade Portuguesa de Neurologia, Vítor Rocha de Oliveira, Presidente Sociedade Portuguesa de Psicologia Clínica, Vítor Daniel Ferreira Franco, Presidente Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde, José Luís Pais Ribeiro, Presidente Sociedade Portuguesa do Joelho, Alberto Lemos, Presidente Associação Nacional da Espondilite Aquilosante, Rui Coelho, Vice-Presidente Conselho Diretivo Nacional da APF, António Lopes, Presidente Sindicato dos Fisioterapeutas Portugueses, João Paulo Pequito Valente, Diretora-Geral da ACREDITAR, Margarida Cruz e o Presidente Associação Doentes Neuromusculares, Joaquim Brites.

COMISSÃO DE HONRA
Na Comissão de Honra figuram o Presidente da República, Cavaco Silva, o Primeiro-Ministro, Passos Coelho, a Presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, o Ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, o Presidente da Câmara Municipal de Cascais, Carlos Carreiras, o Presidente do Conselho Diretivo Nacional da Associação Portuguesa de Fisioterapeutas, Isabel de Souza Guerra, o Presidente do 9º Congresso Nacional de Fisioterapeutas, Isabel Rasgado Rodrigues, World Confederation for Physical Therapy, Emma Stokes, European Region of the World Confederation for Physical Therapy, Sarah Bazin e a Presidente da Asociacion Española de Fisioterapeutas, Antonia Gómez Conesa.

‘SISTEMA(S) DE SAÚDE E FISIOTERAPIA’, ‘ENSINO DA FISIOTERAPIA EM PORTUGAL’ E VÁRIOS PAINÉIS SOBRE A DOR EM DESTAQUE
Um painel de especialista de renome nacional internacional vai abordar diversas temáticas tais como: avanços da ciência na abordagem da dor, diferentes estratégias da Terapia Manual na abordagem à dor, Is it lost in translation? - Prática Baseada na Evidência, doentes paliativos - agimos ou fugimos?, Dói–dói: Da Avaliação à Intervenção, Dor – Um denominador comum nas lesões relacionadas com a prática desportivo, envelhecimento ativo e saudável, Dor e disfunção lombopélvica: uma perspetiva multissistémica e psicossocial, ao Encontro da Saúde da Mulher - Actualidade e Prática Baseada na Evidência, Fisioterapia respiratória no doente cirúrgico, a dor no utente neurológico, abordagem multidisciplinar das disfunções temporomandibulares (DTM), qualidade em fisioterapia. Serão ainda levados a cabo vários workshops e promovidas duas mesas redondas onde vão ser discutidos os ‘Sistema(s) de Saúde e Fisioterapia’ e ‘o ensino da Fisioterapia em Portugal’.

CURSOS E WORKSHOPS DINAMIZADOS POR ESPECIALISTAS DE RENOME NACIONAL E INTERNACIONAL
Os participantes no congresso têm ainda a possibilidade de participar em cursos pré e pós-congresso. Assim, no dia 11 de junho, poderá saber mais sobre ‘Introdução ao Método de Mckenzie’ (Pepe Guillart), ‘Graded Motor Imagery’ (Tim Beames), ‘Introdução ao Conceito de Mulligan’ (Francisco Neto) e ‘Intervenção da Fisioterapia no pós-operatório da cirurgia plástica e reconstrutiva’ (Mara Rúbia). Nos dias 13 e 14 vai realizar-se um curso de ‘Treino Avançado do Controlo Motor: Dor Lonbar e Pélvica’ com Paul Hodges e na tarde de dia 14, Miguel Gonçalves e Tiago Pinto falam da ‘Ventilação não Invasiva - da Teoria à Prática’ e Helena Murta de ‘Ai-Chi’. A participação carece de uma inscrição própria e têm um valor adicional ao valor de inscrição no CNF 2015. Ao inscrever-se nos três dias de Congresso, terá ainda acesso aos Workshops pensados e preparados para si e que poderá consultar em www.congressoapf.org. Adicionalmente à inscrição no CNF 2105, haverá uma inscrição prévia nos workshops que respeitará a ordem de inscritos no Congresso (até um máximo de 3 workshops).

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE FISIOTERAPEUTAS QUER FISIOTERAPIA RECONHECIDA PELA SOCIEDADE
Requerida, há 15 anos, junto da Assembleia, a autorregulação da profissão através de uma Associação
de direito público/ Ordem dos Fisioterapeutas, não tendo havido até agora vontade política para a sua concretização.

A Associação Portuguesa de Fisioterapeutas é uma associação sem fins lucrativos, fundada a 12 de novembro de 1960. Podem inscrever-se na APF os fisioterapeutas nacionais e estrangeiros, diplomados pelas Escolas competentes portuguesas ou estrangeiras, que residam em Portugal, desde que os respetivos cursos estejam homologados ou equiparados nos termos da lei portuguesa e acordos internacionais e desde que exerçam a profissão de Fisioterapeuta.

Estimam-se em cerca de 9000 os fisioterapeutas em exercício em Portugal. É de salientar que a Fisioterapia deverá ser efetuada por um profissional, designado de Fisioterapeuta. O Fisioterapeuta é um profissional com uma formação superior, tendencialmente uma licenciatura, e que possui uma carteira profissional outorgada pelo Ministério da Saúde. No entanto, a realidade é que existem outros profissionais sem habilitações que exercem, por vezes, as mesmas funções de um Fisioterapeuta tendo em conta não existir qualquer enquadramento legal, em Portugal, que penalize esta prática de concorrência desleal e que põe em causa a saúde do paciente. Por isso, é importante que os utentes tenham o cuidado de se informar sobre as habilitações da pessoa que lhe está a efetuar os tratamentos. A Associação Portuguesa de Fisioterapeutas acredita que a Fisioterapia e os fisioterapeutas oferecem um contributo indispensável para a saúde das populações e para a economia nacional. Contudo, é necessário que esse contributo seja melhor compreendido e reconhecido por aqueles que estão fora da profissão.

Todos os anos, os fisioterapeutas ajudam milhares de pessoas a prevenir e tratar doenças através de intervenções seguras e adequados. Porém, verificam não existir ainda em Portugal, reconhecimento do contributo do fisioterapeuta junto das populações, nem o seu efetivo aproveitamento, tendo os fisioterapeutas portugueses um forte sentimento de que as reais mais-valias da profissão não são reconhecidas. Os crescentes desafios colocados aos profissionais, como um maior envolvimento com a comunidade ao nível dos cuidados primários, continuados e paliativos e um enorme aumento do exercício liberal através do crescimento de unidades de fisioterapia, bem distribuídas geograficamente, permitem responder às necessidades da população. Embora os fisioterapeutas continuem a trabalhar com outros profissionais como membros indispensáveis das equipas de saúde, serão também profissionais de primeiro contacto, podendo o público ter acesso direto/auto referência ao fisioterapeuta, como já acontece em numerosos países.

A Associação Portuguesa de Fisioterapeutas vem, desde há 15 anos, requerer junto da Assembleia a autorregulação da profissão através de uma Associação de direito público/ Ordem dos Fisioterapeutas, não tendo havido até agora vontade política para a sua concretização.

No Comments Yet.

Leave a comment

Por favor, resolva a seguinte operação: *